Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Vice-Presidente da República Federativa do Brasil - Discursos

Texto base da Declaração à Imprensa do Vice-Presidente Michel Temer por ocasião da VII Reunião da Comissão Brasil-Rússia de Alto Nível de Cooperação – Moscou, 16 de setembro de 2015

16 de Setembro de 2015 - 13h08

As reuniões de hoje foram produtivas. As delegações do Brasil e da Rússia alcançaram progressos em diversas áreas. Apontaram trajetória a ser seguida para o fomento da parceria estratégica.

O diálogo político avança. Os dois países defendem, em organismos como a ONU, o BRICS e o G20, a reforma do sistema internacional para tornar-se mais representativo e eficiente.

Refiro-me ao apoio que tem dado a Rússia ao pleito brasileiro de dispor de assento permanente em um Conselho de Segurança das Nações Unidas reformado, a fim de melhor refletir o sistema internacional contemporâneo.

Nos encontros de hoje, identificaram-se meios de expandir o comércio e os investimentos entre Brasil e Rússia, cujo potencial é enorme. A aproximação entre empresários brasileiros e russos é chave para a consecução desse objetivo, como pude presenciar, com satisfação, no Fórum Empresarial de ontem.

Foi enfatizado interesse do Brasil em atrair empresas russas para investimentos de modernização de infraestruturas. Foram citadas as áreas de ferrovias e portos, em que as empresas russas são competitivas.

Outros aspectos práticos têm sido suscitados para melhorar perspectivas de fazer negócios. Os bancos de desenvolvimento de ambos os países podem passar a oferecer linhas de crédito adicionais para financiamento de projetos de investimentos. Os respectivos bancos centrais podem fortalecer o intercâmbio sobre como efetuar pagamentos recíprocos em moedas nacionais.

Também se tem avançado na cooperação em educação, ciência, tecnologia e inovação. Ela constitui um dos pilares para diversificação das matrizes econômicas dos dois países e para aprimoramento da qualificação de profissionais.

Discorreu-se sobre a bem-sucedida utilização brasileira do sistema russo de navegação por satélite GLONASS, que continua a avançar. Exemplo disso é o acordo assinado hoje para instalação de nova estação na Universidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul.

Tratou-se da cooperação estabelecida entre a Agência Espacial Brasileira e a Agência Espacial Russa ROSCOSMOS para detecção de detritos espaciais.

A abertura, em junho passado, do escritório da ROSATOM no Brasil servirá para impulsionar a cooperação nos usos pacíficos da energia nuclear. Saúdo assinatura de memorando entre a NUCLEP e a ROSATOM, o que ajudará a parceria industrial nesse setor estratégico.

Foi mencionada importância do ingresso da Rússia no programa Ciência Sem Fronteiras. O passo adiante é implementá-lo com maior eficácia. Os estudantes brasileiros muito se beneficiarão da reconhecida excelência acadêmica e operacional dos centros de pesquisa russos, que tantas inovações trouxeram à humanidade.

Deliberou-se sobre o papel central do setor agropecuário na pauta bilateral. A realização em Moscou, nos próximos meses, da Reunião do Comitê Agrário ratificará o fluido diálogo existente entre autoridades e técnicos de lado a lado.

Registraram-se avanços específicos. O Serviço Federal Sanitário e Fitossanitário da Rússia aprovou seis novas plantas para exportação de carnes, entre final de julho e início de setembro. Também suspendeu restrições para outros cinco estabelecimentos de carnes do Brasil. O ritmo mais intenso de aprovações é reflexo concreto da confiança mútua e do preenchimento de requisitos técnicos pelo Brasil.

Falou-se igualmente do caráter promissor da cooperação em defesa. É sabido que os únicos helicópteros especialmente concebidos para combate, em operação no presente pelas Forças Armadas brasileiras, são de fabricação russa. Tem sido explorado espaço para colaboração bilateral de longo prazo, em vários domínios, com perspectiva de transferência de tecnologia e mediante estabelecimento de parcerias industriais. Foi destacada realização, em agosto passado, em Brasília, de substantiva reunião da Subcomissão de Cooperação Técnico-Militar da CIC.

Na área de energia, comentou-se interesse da Rosneft e da Gazprom em investir no setor energético brasileiro. Empresas russas foram convidadas a participar dos futuros leilões de blocos do Pré-Sal e de linhas de transmissão.

No campo do turismo, registrou-se aumento, entre 2010 e 2014, de mais de 130% no número de russos que visitou o Brasil. Foi anunciada instalação em breve do Comitê “Visit Brasil” e de Escritório Brasileiro de Turismo, a cargo do Ministério do Turismo e da Embratur, com apoio da Embaixada do Brasil em Moscou. O objetivo é promover, divulgar e aumentar, ainda mais, o fluxo de turistas.

 

Senhoras e Senhores,

Esta é a terceira vez que tive o privilégio de copresidir a Reunião da Comissão de Alto Nível Brasil-Rússia. Os resultados concretos têm se evidenciado e têm sido fruto de esforço articulado e contínuo de ambas as partes. O êxito desta nova edição da CAN refletiu melhoria qualitativa e quantitativa da parceria estratégica.

Agradeço, novamente, o convite do Presidente de Governo da Rússia, Dmitry Medvedev, para copresidir, em Moscou, a VII Reunião da Comissão Brasileiro-Russa de Alto Nível de Cooperação. Agradeço a hospitalidade e espero recebê-lo para nova edição da CAN no Brasil. Antes disso, aguardo-o no Rio de Janeiro para apoiar a forte delegação olímpica russa.

Muito obrigado!

Fim do conteúdo da página